DISPOSITIVO DE INDUÇÃO DE ONDAS CEREBRAIS MELHORA FUNÇÕES DA MEMÓRIA

Resumo: A indução de ondas cerebrais teta com um dispositivo comercialmente disponível não apenas melhora a atividade das ondas teta, mas também aumenta o desempenho da memória episódica, conforme uma nova pesquisa do Centro de Neurociência da Universidade da Califórnia, Davis, publicada em outubro de 2018 na revista Cognitive Neuroscience.

A atividade elétrica no cérebro provoca diferentes tipos de ondas cerebrais que podem ser medidas na parte externa da cabeça. As ondas teta, são mais lentas e de baixa frequência, e ocorrem em torno de cinco a seis ciclos por segundo (5-6Hz), geralmente associadas a um cérebro que está monitorando ativamente alguma coisa - como o cérebro de um rato navegando em um labirinto. 

Em um estudo anterior, Charan Ranganath, professor de psicologia, e colegas do Center for Neuroscience da Universidade da Califórnia - Davis, descobriram que altos níveis de atividade das ondas teta imediatamente antes de uma tarefa de memória episódica previam melhor desempenho na tarefa. Alguns dispositivos de indução de ondas cerebrais usam uma combinação de som e luzes para estimular a atividade das ondas cerebrais. A ideia é que os padrões oscilantes nas entradas sensoriais (visão e audição) serão refletidos na atividade cerebral. Os dispositivos são comercializados para resolver uma série de problemas, como ansiedade, problemas de sono, "humor baixo" e aprendizado. No entanto, há pouca evidência científica publicada para apoiar essas propostas.

 Brooke Roberts, pesquisadora de pós-doutorado no laboratório de Ranganath, obteve um dispositivo de indução de ondas teta e decidiu testá-lo. Ela utilizaou 50 voluntários que usaram o dispositivo por 36 minutos ou escutaram 36 minutos de ruído branco, um estímulo acústico neutro, logo após os indíduos então fizeram um teste simples de memória.

Melhor desempenho da memória

Os sujeitos que usaram o dispositivo mostraram tanto melhor desempenho de memória episódica quanto de atividade de onda teta, ela relata. Roberts mostrou seus resultados para Ranganath, que ficou intrigado, mas cauteloso e sugeriu novos voluntários controles. Eles repetiram o experimento com outros 40 voluntários, mas desta vez o grupo controle recebeu estímulos de onda beta, um tipo diferente de padrão de ondas cerebrais, mais rápidas e com maior frequência, ocorrendo em cerca de 12 a 30 ciclos por segundo (12-30Hz), associadas ao estado de vigília normal.

 

Mais uma vez, a indução das ondas teta aumentou a atividade das ondas teta e o desempenho

a memória episódica. O laboratório também realizou um estudo separado usando estimulação

elétrica para melhorar as ondas teta. No entanto, isso teve o efeito oposto, interrompendo a

atividade das ondas teta e temporariamente enfraquecendo a função da memória.

Ranganath disse que está surpreso que os aparelhos funcionem tão bem quanto parecem

funcionar: "O que é surpreendente é que o dispositivo teve um efeito duradouro na atividade

teta e no desempenho da memória por mais de meia hora depois que foi desligado", disse ele.

 

Há um debate entre os neurocientistas sobre a função e o papel dessas ondas cerebrais. 

Alguns pesquisadores argumentam que eles são simplesmente um produto da função

cerebral normal, sem nenhum papel em particular. Ranganath, no entanto, acha que eles

podem desempenhar um papel na coordenação das regiões cerebrais. "Os neurônios são mais

excitáveis ​​no pico da onda, então quando as ondas de duas regiões cerebrais estão em

sincronia umas com as outras, elas podem falar umas com as outras", disse ele.

 

Outros autores no artigo são Alex Clarke, agora na Universidade de Cambridge e Anglia

Ruskin University, no Reino Unido; e Richard Addante, agora na California State University em

San Bernardino. Roberts agora é pesquisador da QUASAR Inc., San Diego. O trabalho foi apoiado

por um Guggenheim Fellowship e um Vannevar Bush Fellowship do Office of Naval Research.

O dispositivo usa padrões de som e luzes para induzir ondas teta no cérebro. (Brooke Robert)

Artigo científico:

Brooke M. Roberts, Alex Clarke, Richard J. Addante & Charan Ranganath (2018) Entrainment enhances theta oscillations and improves episodic memory, Cognitive Neuroscience, 9:3-4, 181-193, DOI: 10.1080/17588928.2018.1521386 

Fonte do texto e das imagens:

University of California - Davis. (2018, October 22). Brain wave device enhances memory function. ScienceDaily. Retrieved November 8, 2018 from www.sciencedaily.com/releases/2018/10/181022172959.htm (conteúdo editado para estilo e tamanho) 

https://www.ucdavis.edu/news/brain-wave-device-enhances-memory-function

https://choosemuse.com/what-it-measures/

Editado por

Matheus Araújo

Centro de Pesquisa em Neurociências

 

08/11/2018

 

inducao de ondas com dispositivo.jpg

whats.png