QUAL A IMPORTÂNCIA DE MEDIR OBJETIVAMENTE AS EMOÇÕES?

Resumo: Uma tendência perceptiva negativa está associada ao surgimento e à manutenção de transtornos de humor e, portanto, é um caminho terapêutico de interesse. Aqui vamos discutir o lançamento de uma avaliação objetiva do viés emocional como um potencial biomarcador de humor. 

O que é viés emocional?

O viés na percepção da emoção facial tipicamente se refere à tendência de ver as emoções das pessoas de uma maneira mais negativa ou mais positiva. Pesquisas sugerem que pessoas com problemas de saúde mental, como depressão e ansiedade (ou outros transtornos de humor) tendem a ver emoções ambíguas mais negativamente, por exemplo, mais tristes, indicando um viés negativo em seu processamento de informações¹ . Foi proposto que esse “viés negativo” ao perceber a emoção facial dos outros contribui para o surgimento e manutenção das condições de saúde mental (Roiser et al., 2012).

Pesquisas anteriores mostraram que as drogas que modificam esse viés tendem a ter efeitos benéficos sobre os transtornos do humor². Além disso, a magnitude da mudança no viés prediz a extensão da recuperação³. Juntos, esses achados apresentam o viés emocional como um potencial biomarcador do humor e sugerem que ele pode ter uma variedade de potenciais aplicações clínicas para melhorar a identificação e o tratamento do paciente (Cotter & Barnett, 2018).  

Como os transtornos do humor são tipicamente medidos?


O autorrelato subjetivo é tipicamente usado para medir a sintomatologia e a gravidade dos transtornos de humor. Por definição, o autorrelato quantifica os sintomas do humor a partir da introspecção subjetiva do paciente. Além disso, as medidas de auto-relato de humor normalmente exigem que o paciente reflita sobre a frequência e a gravidade de seus sintomas durante um período de tempo prolongado, isto é, nas duas últimas semanas. Essas medidas fornecem uma visão útil da perspectiva da pessoa sobre sua condição, mas há duas considerações importantes com seu uso:

As medidas subjetivas são inevitavelmente moldadas pela opinião da pessoa, em termos de nível de percepção e disposição para compartilhar;

A degradação de memória, que é um sintoma comum para muitas pessoas com transtornos do humor, pode tornar a reflexão durante um longo período de tempo não confiável.
 

Essas questões apresentam uma necessidade de complementar as práticas atuais com medidas objetivas, que têm o potencial de diminuir a ambiguidade na reflexão do paciente relacionada à seus sintomas.

Como o viés emocional pode ser medido?​
 

A fim de abordar a necessidade de mensuração objetiva nos transtornos do humor, pesquisadores da University of Bristol e da Cambridge Cognition desenvolveram a Emotional Bias Task - EBT (Tarefa de Viés Emocional). A EBT foi projetada para detectar objetivamente a presença e a extensão do viés na percepção da emoção facial. Crucialmente, a EBT detecta implicitamente o viés de uma pessoa ao perceber as emoções dos outros, quantificando o processamento inconsciente da situação atual.

O que a Tarefa de Viés Emocional envolve?

Os participantes são convidados a ver uma série de rostos que foram transformados entre duas expressões emocionais. Os participantes são encarregados de decidir qual das duas emoções cada rosto exibe, por exemplo, 'Feliz' ou 'Triste'. A tarefa leva apenas 4 minutos para ser concluída e oferece uma medida de resultado simples e fácil de interpretar: o 'ponto de polarização'. O ponto de polarização é um dígito entre 1 e 15, que indica a direção e a extensão do viés ao perceber as emoções faciais.

Quais são os principais benefícios do uso da Tarefa de Viés Emocional?

Demonstrou-se que a EBT é sensível à presença de viés emocional ao comparar um grupo de controle de desenvolvimento saudável àqueles com baixo humor (Penton-Voak et al., 2012). Além disso, o ponto de viés da EBT correlaciona-se com outras medidas comuns de depressão, como as escalas de depressão de Hamilton e Beck, indicando sua potencial utilidade clínica (Penton-Voak et al. 2018).

Crucialmente, a EBT contorna muitas das questões associadas a medidas subjetivas de autorrelato do viés emocional, sendo que é:

Uma medida objetiva (biomarcador) de humor que mede um processo cognitivo interno (percepção emocional facial);

Sensível a flutuações momentâneas no humor;

Independente da qualidade de memória;

Envolvente para os pacientes, exigindo apenas curtos períodos de tempo e atenção;

Não requer treinamento especializado para administrar ou interpretar.

1 - Bourke et al., 2010; MacLeod & Mathews, 2012

2 - Harmer et al., 2009; Roiser et al., 2012

3 - Warren, Pringle e Harmer, 2015

​​

Matéria original:

What is the value of objectively measuring emotional bias? Cambrigde Cognition Blog. 04 de Outubro de 2018. 

https://goo.gl/bxRQAW

Fonte do texto e das imagens:

https://goo.gl/bxRQAW

Editado por

Matheus Araújo
Centro de Pesquisa em Neurociências

18/10/2018

whats.png