Diagnóstico diferencial estruturado integrando testes neuropsicológicos, neuroimagem e eletroencefalograma em transtorno neurocognitivo: um estudo de caso.

Autores: Matheus T Araújo, Ana Paula Sandes de Souza, Fábio V. Caixeta, Jury Ricardo G Garcia. Centro de Pesquisa em Neurociências IEPSE / IMPI em parceria com o Laboratório de Neurociências e Comportamento, Instituto de Biologia, UnB. 2018 – 2019.

Palavras-chave: Neuropsicologia, EEG, Neuroimagem, Comprometimento Cognitivo Leve.

Imagens: Centre for Neuroimaging and Cognitive Genomics (NICOG)
 

Visão geral e objetivos: O envelhecimento é um processo não-patológico natural que implica deterioração cognitiva gradual. É um desafio diferenciar esse processo de doenças cognitivas relacionadas à idade. O comprometimento cognitivo leve devido ou não à doença de Alzheimer está entre os processos relacionados ao envelhecimento que exigem uma abordagem diagnóstica mais específica e analítica. Este estudo de caso propõe o uso estruturado de testes neuropsicológicos, neuroimagem e eletroencefalograma para uma avaliação clínica mais detalhada.

Métodos: Voluntária do sexo feminino, aposentada, com 96 anos, queixa de perda de memória. A avaliação neuropsicológica foi realizada usando o Teste do Relógio e o Teste Visuomotor Gestalt de Bender, Teste de Dígitos e Teste Stroop. Os exames de imagem SPECT também foram adquiridos e o EEG foi adquirido durante a execução do Teste Stroop.


Resultados: A avaliação neuropsicológica indica depressão leve e comprometimento cognitivo leve nas funções de memória e visuomotoras. O SPECT cerebral mostrou uma ligeira redução na espessura cortical e hipoperfusão cortical moderada, especialmente nos lobos frontal e parietal, enquanto os dados do EEG mostraram reduções de potência nas ondas alfa e beta.


Discussão e Conclusão: A voluntária apresenta funcionamento social e executivo consistente com um processo de envelhecimento saudável. Déficits de memória e habilidades visuomotoras apontam para possíveis processos patológicos. A hipoperfusão frontoparietal observada no SPECT cerebral, os déficits no funcionamento executivo e social não são típicos da doença de Alzheimer. Finalmente, o EEG indicou atividade cortical abaixo do esperado. Nossa análise clínica foi concluída em favor de um comprometimento cognitivo leve não devido à doença de Alzheimer no momento da avaliação. A associação de vários instrumentos para um diagnóstico mais preciso é proposta como uma abordagem útil.

Referências
Da Penha Sobral, A. I. G., Carréra, C. M. D., & de Araújo, C. M. T. (2015). A comunicação no diagnóstico de comprometimento cognitivo leve: revisão sistemática. Distúrbios da Comunicação, 27(4).
De Santi, S., de Leon, M. J., Rusinek, H., Convit, A., Tarshish, C. Y., Roche, A., ... & Wang, G. J. (2001). Hippocampal formation glucose metabolism and volume losses in MCI and AD. Neurobiology of aging, 22(4), 529-539.
König, T., Prichep, L., Dierks, T., Hubl, D., Wahlund, L. O., John, E. R., & Jelic, V. (2005). Decreased EEG synchronization in Alzheimer’s disease and mild cognitive impairment. Neurobiology of aging, 26(2), 165-171.

whats.png